sou do tempo que…

orkut não existia;

tv colosso passava na globo,
e a gente só ia almoçar quando
aquele cachorro gritava “Tá na mesa pessoaaaaal..”

colecionar álbuns de figurinhas era top,
bater tapão então, nem se fala… o máximo

tênis de luzinha, era essencial

meninos de 13 anos assistiam cavaleiros-do-zodiaco e dragon-ball-z;
existia carrosel.. depois, chiquititas e não rebeldes;

meninas de 11 anos brincavam de boneca,
e não saíam pra ‘pegar geral’, aliás, nem saíam;

plutão ainda era um planeta;

mc donalds, custava 4,00
kinder ovo era 1 real
salgado + refri = 1,00;

podia-se brincar na rua e voltar pra casa,
onde o maior perigo era se machucar…
e pra isso ainda tinha a solução:
o merthiolate que, naquela época, ainda ardia;

pessoas realmente se conheciam,
e não tão somente pela “descrição” e álbum do orkut;

fotos não eram tiradas para serem colocadas no orkut
e sim para recordarem um momento.. chamávamos até de “retrato”,
pois realmente tinha a função de retratar um momento/emoção
e não valia ver como ficou, apagar e repetir;

maquiagem era coisa de gente grande,
usar quando era criança, só pra brincar de gente grande;

pra saber da vida de alguém,
só lendo os “cadernos de respostas” que faziamos — nada de “fuçar”;

crianças tinham (no auge da tecnologia) tamagotchi
e não super-telefones-celulares
com câmeras que tiram fotos (pro orkut) e filmam;

emos não existiam,
usar all-star, franja ou ter um estilinho diferente era legal;

beijos não eram mandados, nem escritos;

as crianças ainda gostavam de parques de diversão
(com tromba-tromba, twister, casa-dos-espelhos, etc)
e não tinham problemas de visão nem obesidade
dados pelos videogames e computadores;

(embora jogar super-mário, zelda, top-gear, f-zero,
super-star-soccer e street-fighter no super nintendo era o máximo)

biscoitos “do fofão” e “mirabel” existiam

festas de 15 anos eram baile de debutantes
e não eram mega-eventos-pop e nem se trocavam vendiam por viagens;

a intenção num show era ver o show,
e não brigar ou disputar por números de beijos.

as músicas (quando) tinham coreografias eram decentes;

bonde significava no máximo um meio de transporte
e bala era juquinha, 7 bello ou chita, e não drogas.

se mandava cartinhas, pra dizer que amava
e não scraps e/ou depoimentos;

dizer que amava, o termo “te amo”.. era algo especial
e não banalizado, não se dizia para qualquer-“super-amigo”-temporário;

ser ‘pitboy’ não fazia a mínima diferença,
academias tinham poucas, era coisa de gente-grande
e dava-se valor a coisas mais duradouras e menos paupáveis;

os casamentos duravam mais,
ou pelo menos duravam alguma coisa;

para se ter um amigo era necessário adquirir confiança,
credibilidade entre ambos, e não apenas 2 cliques.

e o tempo passou, a modernidade/informática chegou… pra
resolver problemas que, definitivamente, não existiam.

ah, quanta saudade… eu era mais feliz naquele tempo.

12 pensou em “sou do tempo que…

  1. Nick Marinho

    Pois é cara, isso era bom quando existia.

    Hoje as crianças já nascem sabendo tudo, e esse tudo é o tudo justamente do que não deveriam saber.

    Sabem o que é computador e não sabem o que é uma girafa da natureza.

    Vestem um tênis de marca e não são capazes de andar descalços num lago.

    Cada dia mais o mundo informatizado domina o mundo, e nós permitimos.

    Deixa eu me calar, visitem meu blog também: http://www.lucianomarinho.com.br/blog

    Responder
  2. Pingback: Sou do tempo em que… | Hramos

  3. Marta

    Poxa que bonito!

    adorei a parte do "beijos não eram mandados, nem escritos"

    apesar de que eu já não podia sair na rua pra brincar. moro em diadema,sp. hahaha

    mas ah. nossos pais tbm faziam coisas diferentes e sentem falta e acham que a juventude tá perdida…

    (vc acabou de me add no plurk. sou @mapreuss)

    Responder
  4. Filyppe

    Concordo com certas coisas, mas para outras ficam o comentário abaixo.
    Às vezes a gente fantasia demais sobre o nosso passado.

    "Aceite certas verdades inescapáveis:
    Os preços vão subir, os políticos vão saracotear, você também vai envelhecer.
    E quando isso acontecer você vai fantasiar que quando era jovem os preços eram razoáveis, os políticos eram decentes,
    E as crianças respeitavam os mais velhos."

    Responder
  5. http://pensamentoecu

    Olá, Matheus. Cara, cheguei aqui por caso (vi o link num plurk da Kate) e li esse texto por acaso, msa com certeza não foi o acaso que me trouxe aqui, foi a providência.
    Puxa, acho que esse texto é a mais pura verdade de um tempo onde as crianças eram crianças. E, se me permite, estarei colocando esse texto em meu blog (com os devidos créditos, claro). Um texto simples, e bem escrito, como este, deve ser difundido. Quem sabe a gente ainda não consegue mudar alguma coisa no futuro que há de vir?

    Abraços.

    Responder
  6. Claudinha Teles

    Ai Matheus, valeo pela dica do Statpress…ja ta funfando certinho no meu blog…so preciso de um plugin que mostre qtos usuarios online e a svisitas totais….ainda to comecando, sabe…minha pagina ainda nem ta pronta mas enfim…daqui ha poko to bombando koakoakoakoa

    Bjooooss

    Responder

Deixe uma resposta para Nick Marinho Cancelar resposta